TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC: 


O Trabalho de Conclusão de Curso constitui-se em um momento de potencialização e sistematização de habilidades e conhecimentos adquiridos ao longo da graduação na forma de pesquisa acadêmico-científica. Trata-se de uma experiência fundamental na formação do bacharel em Ciências Contábeis, uma vez que lhe proporciona a oportunidade de resolver de forma rigorosa e criativa problemas teóricos e empíricos da Contabilidade.
Como trabalho que se submete aos padrões da produção científica, o TCC deve respeitar seus parâmetros. Assim, ele envolve três etapas: a de formulação de um projeto, sua execução na forma de uma investigação e a apresentação de seus resultados de maneira a ser julgada pela própria comunidade científica. Estas três etapas conjugadas e sujeitas ao crivo da lógica de procedimento da Ciência asseguram ao TCC um caráter diferente dos trabalhos normalmente desenvolvidos pelos estudantes em suas respectivas disciplinas. O TCC é, portanto, um trabalho de síntese que articula o conhecimento global do aluno no interior de sua área de formação. Como tal, o TCC deve ser concebido e executado como uma atividade científica, não como forma de avaliação de seu desempenho no domínio e/ou avaliação de um conteúdo disciplinar específico. É nesse sentido que o TCC deve possuir um caráter monográfico que respeita a área de estudos à qual se encontra vinculado, vale dizer, deve estruturar-se em torno de um objeto construído e delimitado a partir de um problema relativo à Contabilidade.
Tomando como base o caráter de iniciação científica subjacente à monografia, o TCC compreende, em sua primeira etapa, a elaboração de um projeto de trabalho. Como critérios básicos para esta fase, o projeto terá que atender a quatro requisitos: a escolha do tema, sua definição, delimitação e problematização. Junto a este processo somar-se-iam os métodos e técnicas a serem utilizados, bem como o estabelecimento de etapas de trabalho expressos na forma de um cronograma. Como forma de orientação para a elaboração do projeto de trabalho, será disponibilizado modelos de projetos no site: www.berbel.pro.br .
A segunda etapa - execução - corresponde à realização do projeto propriamente dito. É imprescindível que o aluno, no decorrer desta etapa, aplique os conhecimentos científicos de sua área de conhecimento, bem como efetue as atividades dentro de parâmetros mínimos de cientificidade. Para cumprimento desta etapa o aluno deve valer-se de métodos e técnicas universalmente aceitas pela comunidade cientifica que incluem pertinência, consistência, manipulação de variáveis e de hipóteses, mensuração de dados primários e/ou secundários de acordo com padrões de representatividade e generalização compatíveis com seu tema, seu problema/hipótese de trabalho e sua área de conhecimento ou de exercício profissional.
Finalmente, como toda investigação que possui caráter científico, o TCC deve ser submetido ao crivo da crítica da comunidade. De fato, para lograr sua aprovação final, terá que ser levado à apreciação de uma banca de avaliadores composta de três professores: o orientador e dois outros professores escolhidos de acordo com sua habilitação técnica em relação ao tema de investigação. A banca de exame final é um mecanismo que possibilita a avaliação da monografia sob a ótica de diferentes perspectivas. Nesse sentido, a banca deverá avaliar a consistência lógica da investigação, a coerência entre problema de investigação, hipóteses e nível de demonstração ou de validade argumentativa na correlação entre pressupostos, postulados e corroboração empírica. A subsunção do TCC à discussão pública e dos pares articula-se em torno de dois propósitos: sua submissão à crítica racional e averiguação de sua capacidade de refutação. Sujeito à crítica, na multiplicidade de perspectivas representadas pelos avaliadores, o trabalho de conclusão de curso estará cumprindo estes dois propósitos e atendendo, integralmente, a seu papel de atividade de iniciação científica.
Do ponto de vista do aluno, a defesa diante de uma banca examinadora significa a possibilidade de testar sua competência discursiva, de exercitar sua capacidade argumentativa e de defender sua perspectiva frente a outras diferentes ou concorrentes. Ao mesmo tempo, permitir-lhe-á esclarecer elementos de seu trabalho que possam ter ficado obscuros ou frágeis do ponto de vista de sua consistência ou pertinência científica. Neste sentido, a defesa da monografia exercitará a capacidade lógico-dedutiva, de análise e de síntese do aluno, sua fluência em termos de expressão e defesa de suas idéias, bem como sua capacidade de resposta diante de argumentos distintos daqueles que desenvolveu. A necessidade de defesa diante de uma banca justifica-se, então, como inerente ao próprio caráter de iniciação científica do trabalho de conclusão de curso, como mecanismo de ensino-aprendizagem do próprio discente e como fator que exercita as faculdades discursiva e argumentativa.

 

  

I. Finalidades do projeto de pesquisa

    - mapear o caminho a ser seguido durante a investigação

    - permitir que outros membros da comunidade acadêmica possam conhecer o
        trabalho e emitir opiniões sobre o mesmo

    - facilitar a busca de suporte financeiro
 

II. Questões essenciais presentes no projeto

    - o que pesquisar ? (definição do problema, hipóteses e bases teóricas)

     - por que pesquisar ? (justificativa quanto à escolha do tema)

     - para que pesquisar ? (objetivos e propósitos do estudo)

     - como pesquisar ?  (metodologia utilizada)

     - quando pesquisar ? ( cronograma de execução)

     - pesquisado por quem ? (equipe, pesquisadores, coordenadores, orientadores,
                                              entrevistadores etc)
 
 

III. Critérios a serem atendidos pelo projeto

    - relevância social

            - quais as consequências da realização deste projeto para a sociedade ?

            - quem se beneficiará com o projeto ?

            - quais foram as prioridades do pesquisador na escolha do tema ?

            - qual parcela da população seria beneficiada com o projeto ?
 

    - relevância científica

          - trará novos conhecimentos  ?

          - indicará com clareza o estado atual do conhecimento a respeito de um
               determinado assunto ?

          - poderá gerar novas aplicações ou tecnologias ?
 
 

IV. O problema de pesquisa

     - Um problema é uma questão que pergunta como as variáveis estão interrelacionadas
 
     - Indagações sobre a escolha do tema

          - em que sentido o problema é original ?

          - terei condições de executar o projeto ?

          - tenho recursos materiais e financeiros para a investigação ?

          - terei tempo suficiente para finalizar a investigação ?
 
 

     - Regras para a formulação do problema de pesquisa

          1.  deve ser formulado sob a forma de pergunta
               - é mais direto
               - facilita a identificação do leitor

          2.  a questão deve ser especificada com clareza
               - deve-se evitar questões gerais, de grande amplitude, pois tais
                  questões não fornecem direções para a busca de respostas

          3.  o problema deve ser claro e preciso quanto aos termos, pois
                  a linguagem é semanticamente muito rica e um mesmo termo pode
                   possuir várias conotações

          4. os termos do problema devem ser observáveis, mesmo que de forma
               indireta e deve expressar relações entre duas ou mais variáveis

          5. o problema deve ser apresentado de uma forma que implique possibilidades
               de testagem empírica
 

 
V. E, então, mãos à obra ?

 

ESTRUTURA DO PROJETO
 

1. APRESENTAÇÃO (Introdução)

·         Título

·         O Tema do Projeto, sua relevância, perspectivas, questionamento.

 

2. OBJETIVOS

·         Indica se o que se pretende com o desenvolvimento da pesquisa e quais os resultados esperados dependendo da natureza do projeto, procede-se à apresentação do objetivo geral e dos objetivos específicos, separadamente;

2.1 Objetivo geral: Para que fazer?

2.2. Objetivos específicos: Qual é a finalidade desejável à qual se quer chegar?

 

3. JUSTIFICATIVA (finalidade)

·         Deve conter informações sobre as razões, os motivos, o porquê da escolha do tema em questão, qual a relevância e oportunidade do assunto.

 

4. FORMULAÇÃO DO PROBLEMA:

·         Deve ser apresentada de forma objetiva e precisa. O pesquisador deve elaborar perguntas sobre o tema, pois essa indagação é que levará à investigação.

·         O problema deve ser empírico, suscetível de solução e delimitado a uma dimensão compatível com os meios disponíveis para a realização da pesquisa.

 

5. HIPÓTESES

·         Consiste em oferecer uma solução possível, através de uma preposição testável que pode ser considerada verdadeira ou falsa ao final da investigação.

 

6. REFERENCIAL TEÓRICO

·         Elaborar um texto explicando princípios e conceitos já existentes sobre o tema, citando, sempre, autores, que já estudam, ou estudaram esse assunto.

 

7. DEFINIÇÃO DOS TERMOS

·         Em projetos de pesquisa cujos temas têm termos próprios, faz-se necessário a definição clara e precisa dos conceitos a serem utilizados, que será respaldada por uma revisão de literatura.

 

8. METODOLOGIA

8.1 Tipo de Pesquisa

·        Especificar o método que será utilizado para a realização da pesquisa. Pode ser uma pesquisa bibliográfica, estudo de caso, história de vida e outros.

8.2 Coleta de Dados

·        Caracterizar o universo descrevendo o tamanho e a composição do universo considerado para estudo, definir tipo, tamanho e formas de composição da amostra. Indicar a estratégia a ser adotada e os instrumentos necessários para a realização da pesquisa, como questionários, entrevistas, formulários e outros.

8.3 Análise dos dados

·        Definir os procedimentos para análise e interpretação dos dados.

 

9. REFERENCIAL BIBLIOGRÁFICO

 

 

ASPECTOS TÉCNICOS

 

 

 

 

 

Modelos de Projetos de Monografias

 

Modelo I

FACULDADES INTEGRADAS TIBIRIÇÁ

CIÊNCIAS CONTÁBEIS

 

Aluna: Elisângela de Fátima Camargo

Orientador: Prof. José Divanil Spósito Berbel

ASSUNTO: Auditoria Interna

TEMA: Auditoria em Cooperativa de Crédito

PROBLEMA: Qual o padrão de auditoria adotado para as Cooperativas de Crédito?

HIPÓTESE: A hipótese básica será verificar se os procedimentos adotados pela auditoria nas Cooperativas de Crédito atendem às expectativas do Órgão fiscalizador do sistema Cooperativo do Brasil.

JUSTIFICATIVA: A escolha deste tema prende-se ao fato do mesmo estar em linha direta com minha área de atuação, o que irá contribuir sobremaneira para o enriquecimento do meu desempenho profissional.
Outro fato a ser considerado é que os problemas de controle no sistema cooperativo exigem uma análise muito profunda de todas as variáveis envolvidas. Dentro desse contexto, esse trabalho se justifica, pois resume os principais pontos, servindo de base para outros trabalhos, e contribuindo como fonte de informações para Estudantes e demais interessados que atuem nessa área.

OBJETIVO GERAL: O objetivo é apresentar um cenário geral do tema, demonstrar os procedimentos dos trabalhos e processos realizados na área de auditoria, com a preocupação de verificar se estão atendendo as normas legais.

OBJETIVO ESPECÍFICO:
O trabalho será apresentado de forma gradual, esclarecendo desde a origem das Cooperativas de Crédito até a exigência de auditoria para as mesmas, com ênfase na maneira como procede a auditoria interna.

PROCEDIMENTOS: Será realizada através de pesquisas bibliográficas, entrevistas, consultas objetivas às Normas, Resoluções e Circulares do Banco Central do Brasil, Receita Federal e CFC.

Levando-se em conta, também, a complexidade e extensão do tema, o presente trabalho terá seis capítulos, assim distribuídos:

Introdução

Cap. 1 – Conceito de Cooperativas de Crédito

Cap. 2 – A Auditoria Interna nas Cooperativas de Crédito
2.1 – Finalidade
2.2 – Abrangência do Trabalho
2.3 – Campo de Atuação do Auditor

Cap. 3 – Programa de Trabalho

3.1 – Conteúdo

3.2 - Maneira de Utilização (ou modo de execução?)

Cap. 4 – Demonstrações Econômico – Financeiras

Cap. 5 – Matriz de Risco

Cap. 6 – Questionário de Avaliação – Controles Internos

Cap. 7 – Wp´S – Papéis de Trabalho (verificar, pois não é bom colocar coisas abreviadas no sumário)

Cap. 8 – Relatórios de Auditoria

8.1– Modelo de Relatório de Auditoria

8.2 – Diretrizes da Auditoria – Parecer de Auditoria

8.3 – Procedimentos Administrativos

CONCLUSÃO

ANEXOS

BIBLIOGRAFIA:

CRONOGRAMA:

Fase de Pesquisa

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

1-Escolha do Tema, Formulação e Problema

 

 

 

 

 

2-Levantamento Bibliográfico

 

 

 

 

 

3-Documentação

 

 

 

 

 

4-Elaboração do Projeto

 

 

 

 

 

5-Coleta de dados, trabalho de campo

 

 

 

 

 

6-Analise de dados, teste da hipótese

 

 

 

 

 

7-Pré-teste e revisão da Metodologia

 

 

 

 

 

8-Redação final do trabalho

 

 

 

 

 

9-Apresentação do TCC

 

 

 

 

 

 

 

Modelo II


FACULDADES INTEGRADAS TIBIRIÇÁ

Ciências Contábeis


Aluna
: Rosângela Aparecida do Nascimento

Orientador: Prof. José Divanil Spósito Berbel

TEMA: Ética Geral e Profissional em Contabilidade.

PROBLEMA: Qual a Importância da ética para o Profissional de Contabilidade?

HIPÓTESE: A hipótese básica será verificar se o Código de Ética dos Profissional de Contabilidade ajuda na superação das dificuldades no dia á dia dos Contabilistas e, qual seu grau de contribuição para o fortalecimento da classe no Brasil.

JUSTIFICATIVA: A escolha deste tema, além de contribuir sobremaneira para o enriquecimento do meu desempenho profissional, objetiva oferecer uma contribuição para os alunos e profissionais da área.

OBJETIVO GERAL: O objetivo é apresentar um cenário geral do tema, demonstrar os procedimentos realizados na área da Ética, com a preocupação de verificar sua importância no atual cenário contábil.

OBJETIVO ESPECÍFICO: O trabalho será apresentado de forma gradual, esclarecendo desde a origem da Ética até a exigência da mesma para os Profissionais de Contabilidade.

PROCEDIMENTOS: Será realizada através de pesquisas bibliográficas, entrevistas, consultas objetivas às Normas e Resoluções do Conselho Federal de Contabilidade - CFC.

Levando-se em conta, também, a complexidade e extensão do tema, o presente trabalho terá sete capítulos, assim distribuídos:

Sumário

§ Introdução

§ Significado da Ética na Conduta Humana

§ Ética e o Profissional de Contabilidade

§ Importância da Ética Para Contabilidade

§ Influência da Ética no mercado de trabalho do Profissional de Contabilidade

§ O Código de Ética Profissional Contábil

§ Conclusão.

Bibliografia

§ CRC - SP, Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo A Legislação da Profissão Contábil. Coleção Milênio. 2000

§ CRC - SP, Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo As Normas da Profissão Contábil. Coleção Milênio. 2000

§ LISBOA, Lázaro Plácido. Ética Geral e Profissional em Contabilidade. Editora Atlas, São Paulo, 1997.

§ SÁ, Antonio Lopes de. Ética Profissional. Editora Atlas, 4ª edição.

§ Sá, Antonio Lopes de Vocação Moderna da Contabilidade (on line)

§ Sites da Internet.

ANEXO

§ Código de Ética do profissional Contabilista – Resolução 803/96 do Conselho Federal de Contabilidade.

CRONOGRAMA

Fase de Pesquisa

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

1-Escolha do Tema, Formulação e Problema

 

 

 

 

 

2-Levantamento Bibliográfico

 

 

 

 

 

3-Documentação

 

 

 

 

 

4-Elaboração do Projeto

 

 

 

 

 

5-Coleta de dados, trabalho de campo

 

 

 

 

 

6-Analise de dados, teste da hipótese

 

 

 

 

 

7-Pré-teste e revisão da Metodologia

 

 

 

 

 

8-Redação final do trabalho

 

 

 

 

 

9-Apresentação do TCC

 

 

 

 

 

 

 

Modelo III

FACULDADES INTEGRADAS TIBIRIÇÁ

CIÊNCIAS CONTÁBEIS

 

Aluno: Marcos Radaic Araújo

Orientador: Prof. José Divanil Spósito Berbel


ASSUNTO: Cooperativas de Crédito

TEMA:
O Futuro das Cooperativas de Crédito.

PROBLEMA:Qual o Futuro das Cooperativas de Crédito no Brasil?

HIPÓTESE: Verificar se o atual cenário de fraca demanda por crédito, motivado pela incerteza dos agentes financeiros, taxas de juros elevadas e crescente inadimplência; poderá ensejar expansão futura para o seguimento das Cooperativas de Crédito, tendo em vista sua forma diferenciada de atuação.

JUSTIFICATIVA: O presente trabalho tem por finalidade esclarecer a sistemática de funcionamento, atividades, e perspectivas futuras das Cooperativas de Crédito.

OBJETIVO GERAL: O objetivo desse trabalho é apresentar um cenário atual do seguimento e verificar se as Cooperativas de Crédito podem ser consideradas uma alternativa de desenvolvimento econômico-financeiro para o futuro.

OBJETIVO ESPECÍFICO: O trabalho será apresentado de forma gradativa, esclarecendo desde o funcionamento das Cooperativas de Crédito, suas particularidades e, finalizando, com um cenário sobre as possibilidades futuras do seguimento cooperativista.

PROCEDIMENTOS: A técnica utilizada para o desenvolvimento desse trabalho será verificar através de uma pesquisa bibliográfica em livros, jornais, revistas, internet; entrevistas com profissionais da área e sugestões do orientador.

Considerando a amplitude do tema, o resultado será apresentado da seguinte forma:

SUMÁRIO:

Introdução

Cap. 1 –

Cap. 2 –

2.1 –

2.2 –

2.3 –

Cap. 3 –

Cap. 4 –

Conclusão

ANEXOS

BIBLIOGRAFIA:

CRONOGRAMA: